domingo, 22 de janeiro de 2012

Poesias para enriquecer a história do Macaquinho Jujuba


O MACAQUINHO
Autor(a): IZILDINHA JOSEFA SORDI RENZO
O MACAQUINHO

Mas que macaquinho sapeca!Rasgou todo baralho.Vive apenas de traquinas.
Joga caca no chão.Briga com a empregada.Come as frutas das meninas.
Mas que macaco que nada!Bisbilhota o dia inteiro.Deixa sua dona azoretada
Tanto faz.Tanto fez.Comeu a banana do freguês.Rasgou a carta selada.
Dia e noite aprontando, esse macaquinho travesso, macaquinho sapeca.
Rasgou o vestido da noiva.Arrancou o cabelo da boneca.
Bota sal no açucareiro.Espalha milho para todo lado
Pobre macaquinho travesso!Só vive enclausurado.
Seu Manoel o vendeiro.Criou o macaquinho.Trouxe de lá do mato.
E agora o pobrezinho.Já disputa uma vaga com o gato.
Quer miar e não pode.Puxa as barbas do bode.
A mulher disse ao marido.Macaquinho quer ser feliz e não pode.
Todos entenderam o fato.Devolveram o macaquinho ao mato
Que agora dentro do bando vive feliz.Já não destroça nenhum sapato.



Publicado no site: O Melhor da Web em 28/06/2008
Código do Texto: 4525



O MACACO POETA

Publicado por vidapura2 em Maio 1, 2009
Um macaco resolveu
      que queria ser poeta
      e uns versos escreveu
      pra macaca predileta
      Declamava o macaco
      lendo e relendo seus versos
      tendo a rua como palco;
      por ouvinte o universo
      Suas rimas eram pobres
      pobre rimas simiescas
      mas seus sentimentos nobres
       e suas idéias frescas.
      Era tão nobre o primata
      e vate tão esforçado
      Que ganhou até estátua
      lá na praça do mercado
      E quanto à dona macaca?
      A sua musa dileta !?
      Ah, nenhum poeta escapa:
      Inalcansável, secreta.
                                  Jorge Linhaça
Macaco Caco
Macaco caco
Salta e pula
De galho em galho
E se coça... como se coça!
Olhinhos espertos
Banana na mão
Tem sempre um filhote
No seu cangote
Bichinho atrevido
Solta um grito
Faz graça e imita
O menino do outro lado do rio
Ah! Ia quase esquecendo
De perguntar
Você sempre lava as mãos
Antes de cada refeição?
                                                       Rosy Beltrão

O Macaquinho De Pilha

Toquinho

O macaquinho quando está de pilha nova
Fica todo entusiasmado, bota pra quebrar.
Abre a torneira e sai molhando a casa inteira
E o rolo de papel higiênico vai desenrolar.
Entope o ralo, fecha a porta, abre a janela
E duas tampas de panela bate até cansar.
Pula do canto de cá pro outro lado de lá
E o pula-pula segue até o sol raiar.
Se mete em todo buraco, tá com macaca o macaco,
Só fica quieto se a pilha se acabar.
Continuando, pro azar da cozinheira,
Ele vai na geladeira só pra xeretar.
Mistura ovo, abacaxi e marmelada
Com iogurte e carne assada e larga tudo lá.
Pega a toalha e põe embaixo do chuveiro,
Vira a cinza do cinzeiro pra depois soprar.
Gira a cabeça ligeiro, coçando a nuca e o traseiro,
E o coça-coça segue até o sol raiar.
Se esconde dentro de um saco,
Tá com a macaca o macaco.
Só fica quieto se a pilha se acabar.
Qua - qua - ra - qua - qua
Essa semana o macaquinho se complicou
E numa casca de banana o coitadinho escorregou.

Sugestões de outros livros onde o personagem principal é um macaco:










 E do filme O Macaco e a Velha: